São Paulo: (11) 2761-1017 - Porto Alegre (51) 3022-7462 - WhatsApp: (51) 99653-3530

Remoção de Pelos a Luz Intensa Pulsada

Remoção de Pelos a Luz Intensa Pulsada

Pêlos indesejáveis são um problema comum. Os métodos tradicionais de remoção de pêlos incluem raspagens, clareamento, depilação e eletrólise. Esses métodos são limitados pela inconveniência da dor e, na maioria das vezes, não apresentam resultados definitivos.

Recentemente vários lasers e aparelhos de luz pulsada tem sido desenvolvidos especificamente para remoção de pêlos, mas o grau e duração da redução dependem de vários fatores como: coloração e espessura dos pêlos, localização, cor da pele, alterações hormonais e bronzeamento da pele. Os principais aparelhos de lasers utilizados para remoção de pelos são: laser de diodo, rubi, alexandrite, neodymium: YAG, bem como das laminas de luz pulsada. Esses aparelhos de luz pulsada oferecem um potencial para um tratamento rápido e eficaz para redução de pelos.  A redução de pelos pode ser parcial ou total, temporária ou permanente.

A redução temporária geralmente dura de 1 a 3 meses, dependendo da duração do ciclo do pêlo e da área tratada. Ela ocorre sempre após o tratamento com LIP mas não é permanente, por isso, deve-se repetir o procedimento;

A  redução permanente é definida como uma redução significativa no número de pêlos estável por pelo menos seis meses pós tratamento.

A depilação é feita em sessões para que o folículo piloso tenha tempo para se recuperar da lesão provocada pela LIP e reinicie um ciclo  de crescimento normal, recebendo nova aplicação de LIP e ficando cada vez mais fraco.

É preciso fazer a distinção entre a redução permanente e a redução total de pêlos. A remoção completa de pêlos refere-se à ausência total de pelos, o que é muito difícil de conseguir com o LIP. O mais habitual após um tratamento é uma redução grande de pêlos, geralmente seguida por uma repilação parcial, ou seja, é uma redução, não uma ausência de pêlos. Os pêlos grossos e escuros são substituídos por lanugem. (pêlos finos, mais claros e que não crescem, como os encontrados em crianças).

A remoção completa e permanente, não é facilmente atingida, e geralmente exigiria a realização de múltiplas sessões. Lembre-se de que os pêlos claros e/ou finos não serão atingidos pela LIP.

O número de sessões para o efeito desejado pelo paciente é VARIÁVEL (4-10 sessões, ou até mais). Os melhores resultados são com pêlos escuros e grossos em peles claras.

DIA DO TRATAMENTO

 

  1. 1. No caso de depilação de pernas, costas, tórax, axilas e barba em homem é necessário raspar os pelos um dia antes deixando-os com um ou dois milímetros ( raspar no sentido do pêlo).
  1. 2. Demais áreas não devem ser raspadas para facilitar a visualização e evitar áreas de escape.
  2. 3. A cor da pele e o tipo de pêlos são indicativos de maior sucesso no tratamento.

Em geral os resultados tendem a ser melhores quanto mais clara for a pele e mais escuro e grosso o pelo.

  1. 4. Tatuagem, maquiagem definitiva, efélides (sardas) e nevus (pintas) podem ser clareadas ou distorcidas após  o tratamento com LIP na local.

TÉCNICA

 

  1. 1. O tratamento de remoção de pêlos não costuma ser doloroso, porém a dor é um sintoma subjetivo variável entre as pessoas. Normalmente uma bolsa de gelo após o tratamento costuma ser suficiente.
  2. 2. Para os pacientes com maior concentração de pêlos, ou no tratamento de áreas mais sensíveis, uma substância anestésica tópica pode ser aplicada. O uso de anestésico injetável não é necessário.
  3. 3. Maquiagem e cremes devem ser removidos da área a ser tratada.
  4. 4. Os pêlos da área a ser tratada devem ter apenas alguns milímetros, o suficiente para ser visível, evitando assim que haja áreas sem tratamento. A presença de pêlos longos além de não aumentar em nada a eficácia do tratamento, aumenta as chances de dor e efeitos colaterais.
  5. A resposta ideal imediatamente após a aplicação da LIP é a presença de vermelhidão e inchaço ao redor do pêlo, em alguns casos carbonização dos pêlos (pontos negros visíveis), mais acentuadas nos pacientes com o pêlo mais escuro e pele mais clara.
  6. Nos pacientes de pele mais escura é normal certo grau de vermelhidão na pele entre os folículos pilosos, porém a potencia tem que ser mais baixa para não ocorrer bolhas.
  7. O próximo tratamento deve ser realizado após a repilação completa, pois é importante que o pelo esteja presente. Não há qualquer indício que tratamentos precoces antes da repilação seja benéfico.
  8. A fluência do tratamento subsequente deve ser aumentada ou diminuída de acordo com os resultados e a presença de efeitos colaterais. A percentagem da perda de pêlos é maior com o uso de fluências mais altas, porém aumenta o risco de efeitos colaterais e queimaduras, por isso deve-se iniciar o tratamento  com energias baixas e aumentar aos poucos.
  9. Todo paciente deve assinar um termo de consentimento informado atestando que foi devidamente esclarecido quanto ao tratamento, número de sessões e expectativas de cada tratamento.

Orientações

  1. Os paciente não devem estar bronzeados antes do tratamento. A exposição ao sol após o tratamento com LIP deverá ser liberada pelo médico após o primeiro retorno. Lembrar que, como o tratamento pode ser longo, é recomendável evitar a exposição solar excessiva, sempre utilizando bloqueadores solares (FPS30 ou maior).
  2. O uso prévio de protetores solares permite uma remoção mais eficiente e menos dolorosa a cada sessão.
  3. O uso prévio de substâncias descolorantes como hidroquinona associada ou não ao ácido retinóico pode ajudar a diminuir o bronzeamento e evitar complicações.
  4. Complicações como bolhas, hipopigmentação e hiperpigmentação (manchas escuras) são raras e geralmente transitórias.
  5. Entre 4 a 6 semanas antes do tratamento o paciente deve parar de depilar ou arrancar os pêlos com pinças na área a ser tratada. A presença do pêlo no interior do folículo piloso no momento da exposição ao LIP aumenta a eficácia do tratamento.
  6. A raspagem, o clareamento dos pêlos e os cremes depilatórios são permitidos.
  7. Uso de soluções autobronzeadoras ou bronzeamento artificial deve ser descontinuado nesse período.
  8. Doenças como: herpes simples, perioral ou genital devem ser relatadas ao médico, para que ele introduza tratamento profilático. Paciente com vitiligo, líquen ou psoríase, podem notar lesões na área tratada com aplicação de LIP.
  9. Quelóide ou cicatriz hipertrófica não são contra-indicações absolutas ao tratamento, mas exigem um tratamento menos agressivo.

10. Pacientes em uso de isotretinoína oral, (Roacutam, Isoface) devem esperar seis meses após o término do tratamento para iniciar as aplicações de LIP.

11. As alterações hormonais não excluem a possibilidade de tratamento. Quando detectada alguma alteração hormonal que justifique a hipertricose (excesso de pêlos), a LIP pode ser iniciada, mesmo antes do tratamento hormonal para que se atinja o maior número de folículos possíveis. Se a alteração não for controlada, ela pode comprometer os resultados a longo prazo. É fundamental neste caso que o paciente seja alertado sobra a possibilidade de crescimento de novos pêlos.

12.  Este tratamento não deve ser realizado em gestantes, e pacientes que façam uso de anticoagulantes.

Simone Bacchi, Fisioterapêuta, Posgraduanda em Dermatofuncional PUCRS

Aviso Legal

Responsável Técnico Dr. Honório Sampaio Menezes
CRMSP 138615 – CRMRS 11342

Os dados aqui contidos não são aconselhamento, são informações somente de caráter informativo. As informações não devem ser usadas para automedicação, autodiagnóstico e autotratamento.

Facebook

Contato

  • Alameda dos Maracatins 1435 cj 904 Moema
    São Paulo | SP
  • (11) 2761-1017

  • Rua Dom Pedro II
    1220 cj 306 Higienópolis
    Porto Alegre | RS
  • (51) 3022-7462
  • WhatsApp (51) 99653-3530