São Paulo: (11) 2761-1017 - Porto Alegre (51) 3022-7462 - WhatsApp: (51) 99653-3530

Aumento peniano em diversas culturas

Aumento peniano em diversas culturas

Os devotos de shiva
Na tradição hindu, Shiva é o deus supremo (Mahadeva), o meditante (Shankara) e o benevolente onde reside toda a alegria. O tridente que aparece nas ilustrações de Shiva é o trishula. É com essa arma que ele destrói a ignorância nos seres humanos. Suas três pontas representam as três qualidades dos fenômenos: tamas (a inércia), rajas (o movimento) e sattva (o equilíbrio).

Lingam, também chamado de linga, é o símbolo fálico de Shiva. Ele representa o pênis, instrumento da criação e da força vital, a energia masculina que está presente na origem do universo. Está associado ao poder criador de Shiva.

O lingam é o emblema de Shiva. Na Índia, reverenciar o lingam é o mesmo que reverenciar a Shiva. Ele pode ser feito em qualquer material, embora o preferido seja o de pedra negra. Na falta de uma escultura, se constrói um lingam com a areia da praia ou do leito do rio; ou simplesmente se coloca em pé uma pedra ovalada.

Nos devotos do Deus Shiva é onde se encontram as maiores descobertas e um dos maiores segredos de técnicas e uso de substancias naturais milenares no aumento peniano. Estes seguidores tem como mantra e tradição o culto ao falo.

Dentre estes cultos esta a cultura de exercitar os seus próprios pênis como forma de devoção e gratidão ao Deus Shiva, com eles estão as formulas mais antigas e secretas do contexto do aumento peniano. Não que elas devam ser secretas, mas sim por elas conterem uma simbologia maior que o simples fato de se aumentar as dimensões do pênis, é através desta combinação e seus princípios ativos que me foi fornecido, que nasceu a fórmula biomolecular, com isso posso afirmar que a fórmula original não é nenhuma novidade entre os orientais e norte americanos.

Os sadhus fazem o alongamento peniano principalmente pelo levantamento de peso e alongamento com um bastão. O alongamento com peso é feito com um pano onde é colocado uma pedra, o praticante segura com a mão o seu falo pela glande e pendura o pano no meio do seu órgão. Em outra técnica muito usada em exibições públicas, o praticante enrola o seu pênis em um bastão, coloca o bastão atrás do seu corpo ou empurra o bastão em diferentes direções.

Os árabes sudaneses

O livro “L’Ethnologie du Sens Genitale” publicado em 1935 relata o tamanho do pênis em diferentes raças. O autor do livro, Dr. Jacobus, afirma que os maiores pênis estão entre os Árabes, com medidas entre oito a dez polegadas (20,3 a 25,4 centímetros). Mas foi entre os muçulmanos sudaneses que Jacobus encontrou “o falo mais desenvolvido ” – definitivamente, “uma das maiores dimensões, sendo esta de quase 12 polegadas (30,4 centímetros) de comprimento, por 2 polegadas de diâmetro ”

O investigador comentou que este falo foi visto como “uma formidável máquina” – “mais provável de ser um pênis de um burro do que de um homem.” Ele concluiu que: “O Negro Sudanês possui o maior órgão genital masculino de todas as raças da humanidade”.

http://www.world-sex-records.com/sex-003.htm

Os mambas de Vanuatu
Vanuatu é um estado insular da Melanésia, que ocupa o arquipélago das Novas Hébridas. Tem fronteiras marítimas com as Ilhas Salomão, a norte, com o território francês da Nova Caledônia, a sul, e com Fiji, a leste. A capital é Port Vila.

Alguns poucos relatos mostram a existência do faloculturismo nessa região. Como o dos casais Stacy e Dave, Lurie e Jo que passaram pelas Novas Hébridas a bordo de um barco chamado Ladybug, em seu diário relatam: “Soubemos de um grupo aqui em Vanuatu, chamados de “Big Mambas”. O nome está associado com o tamanho dos pênis que os homens deste grupo carregam consigo. E se isso não fosse engraçado o suficiente, há um outro grupo chamado de “Small Mambas”.

Os jovens “Big Mambas” fazem a extensão peniana por meio de tecidos de fibra vegetal que são enrolados em seu falo. Eles fazem várias voltas com uma grande quantidade de material. Ocorre a extensão peniana tanto pelo peso da fibra vegetal usada, como pela constante distensão do falo, processo semelhante ao extensor peniano usado pelos ocidentais.

Kama Sutra
Segundo o Kama Sutra os homens dividem-se em 3 classes, segundo o tamanho do seu linga (pênis):

  • homem lebre
  • homem touro
  • homem cavalo

As mulheres dividem-se em 3 classes, segundo a profundidade da sua yoni (vagina):

  • mulher corça
  • mulher égua
  • mulher elefante

De acordo com o tamanho dos órgãos genitais existem as uniões iguais:

  • homem lebre -mulher corça
  • homem touro – mulher égua
  • homem cavalo – mulher elefante

Uniões desiguais:

  • homem lebre – mulher égua
  • homem lebre – mulher elefante
  • Homem touro – mulher corça
  • homem touro – mulher elefante
  • homem cavalo – mulher corça
  • homem cavalo – mulher égua

O kama sutra foi escrito para benefício da Humanidade, segundo os preceitos da Sagrada Escritura, por Vatsyayana, quando se encontrava inteiramente entregue à contemplação da divindade. As posições para a relação sexual permite o ajuste entre as uniões desiguais e o máximo prazer na união igual.

Na Kama Sutra de Vatsyayana (Burton, 1962), os homens são encorajados a usar Apadravyas que “são colocadas ao redor do lingam, apara aumentar a sua dureza ou a sua espessura, de forma a encaixar-lo melhor para a Yoni.”

Existem vários tipos diferentes de apadravyas, alguns são semelhantes ao anel peniano, outros aos alongadores (capa que cobre o falo) e tem o piercing de glande. Uma das técnicas de aumento peniano consiste em usar picadas de vespas e massagem com “óleo doce” e depois dormir de bruços (barriga para baixo) com o pênis balançado por um buraco feito na cama. Também descreve produtos fitoterápicos que a mulher pode usar para alargar ou diminuir o seu canal vaginal, permitindo “que a mulher elefante descubra as maravilhas de ser uma corça” ou para “acomodar um garanhão por uma noite”.
Os Karamojongs
Karamoja é o nome da região nordeste da Uganda. Tem clima semi-árido com poucas chuvas e formação vegetal de savana. A população tem hábito semi-nômade e vivem da criação de gado e agricultura. A população é dividida em tribos de grande rivalidade em função da disputa dos recursos naturais escassos, água e terra fértil. A fome e conflitos armados são constantes nessa região. Em 1980 uma intensa seca provocou a quebra da produção agrícola e 21% da população morreu.

Na cultura do grupo étnico Karamojong, a prática do alongamento do pênis faz parte de um ritual. Isto tem início na puberdade, um menino Karamojong pendura discos de pedras circulares na ponta do seu pênis desde seus 7 anos de idade. Quando ele se acostuma com a dor, são acrescentados mais discos. Seu pênis fica por horas oscilando como um pêndulo com estes pesos pendurados em seu pênis. Durante a adolescência, ele poderá pendurar até 20 libras (44 kilogramas) em seu pênis e obter um resultado final de até de 16 polegadas (40 centímetros). Esta prática de alongamento é conhecida entre nós como alongamento por gravidade.

Consulte mais detalhes neste site na categoria estética íntima

Aviso Legal

Responsável Técnico Dr. Honório Sampaio Menezes
CRMSP 138615 – CRMRS 11342

Os dados aqui contidos não são aconselhamento, são informações somente de caráter informativo. As informações não devem ser usadas para automedicação, autodiagnóstico e autotratamento.

Facebook

Contato

  • Alameda dos Maracatins 1435 cj 904 Moema
    São Paulo | SP
  • (11) 2761-1017

  • Rua Dom Pedro II
    1220 cj 306 Higienópolis
    Porto Alegre | RS
  • (51) 3022-7462
  • WhatsApp (51) 99653-3530